Império Fitness

Dieta e Nutrição

O que é cutting e bulking?

Um dos motivos mais óbvios para o público em geral buscar as academias de ginástica é a perda de peso, e, se possível, sair do treino com alguns músculos a mais, não é mesmo? Mas você sabe o que é cutting e bulking? Então preste bastante atenção nestes dois termos, pois eles representam duas importantes etapas do processo de hipertrofia que nós iremos esclarecer para você aqui neste post.

Mas antes de entrar nestas terminologias, é importante pensar no papel que a gordura exerce na nossa composição física. O corpo precisa de gorduras. Elas carregam nutrientes importantes, o que gera energia, e são essenciais também para a construção de nossa estrutura corporal. A grande questão é entender que existem gorduras boas e gorduras ruins.

Esse segundo time deve ser evitado a todo custo: trata-se de gorduras saturadas e trans (encontradas em alimentos como manteiga e leite integral), alimentos altamente calóricos, e que são as causas principais de danos à saúde, como alto colesterol. Já as gorduras boas, que têm alto índice calórico, mas que devem ser consumidas, estão presentes no azeite, em nozes e castanhas, etc.
Sabendo disso, é importante entender o que o cutting e o bulking podem fazer por você, pelo seu corpo, e com as gorduras que você consome. Vamos primeiro a duas definições simples.

Bulking

Está relacionado ao aumento de calorias consumidas por você, tendo em vista aumentar seu peso e, consequentemente, ganhar força para construir músculos. A ideia aqui é de maior capacitação física através do ganho de energia, sem pesar a mão demais em exercícios físicos, ou seja, prática de treinos mais leves. E, como visto acima, essa energia é conseguida através do consumo de alimentos altamente calóricos. O bulking está relacionado ao período “fora de temporada” dos atletas, quando eles não estão em calendário de competições.

Cutting

É o processo contrário. Como o próprio nome indica, está relacionado com o corte de calorias consumidas, com o objetivo de perder gordura e peso. Aumenta-se a dose de exercícios com esse fim, sempre em busca de definição muscular, portanto, o treino fica mais puxado. O cutting geralmente é praticado pouco antes de começarem as competições.

Questões importantes

Dadas as definições, vamos às questões que as cercam — especialmente os mitos. Primeiro: bulking não é uma simples “dieta de engorda”, como atores fazem para representar um personagem, por exemplo. O que se busca é uma dieta inteligente e equilibrada, focando em alimentos como as gorduras do bem, já citadas. Peso maior nem sempre está ligado a ganho muscular, como todos sabemos bem. Por mais que você pode dar uma “relaxada” no consumo alimentar, é essencial evitar frituras e excesso de sal, por exemplo. Assim, é importante incluir gorduras saudáveis, proteína e passar a comer em horários regrados.
O cutting correto também segue a lógica da boa alimentação, que deve ser regular, para não comprometer seu metabolismo e dificultar a queima da gordura. O fundamental é se livrar do excesso de gordura que você acumulou no bulking, mas sem perder a preciosa massa muscular que você conseguiu. Dicas de consumo alimentar: redução de carboidratos (sem zerar) e grande ingestão de legumes, cereais, água.

O fundamental para as duas formas de dieta, é fazê-las do jeito certo. Isso significa não descuidar em nenhum momento da tabela de nutrição na hora de se alimentar e ter ciência de quais exercícios físicos (e a sua intensidade) são adequados para cada fase. A alternância de ciclos entre os dois procedimentos é fundamental, por isso a marca de tempo estabelecida entre os atletas, em competição ou não. O importante é otimizar seus esforços, mas com responsabilidade e cuidados com a saúde!
Você já fez cutting e bulking? Obteve sucesso? Qual foi sua receita?

  • Mulher Frugal

    Excelente explicação.